Sala de Convidados

Desastres Ambientais e Emergências em Saúde Pública


 


Programa Exibido em 05/12/2019


Derramamento de óleo no litoral do Nordeste, queimadas na Amazônia, rompimento de barragem em Brumadinho são alguns dos desastres ambientais ocorridos em 2019 no Brasil. Além da imensurável perda decorrente de eventos de tal proporção, outras emergências são desencadeadas envolvendo a Saúde Pública. Situações como essas vêm exigindo do Sistema Único de Saúde (SUS) ampliação da capacidade de atuação e adoção de medidas no cuidado à saúde da população.
O caso mais recente, o vazamento de óleo no Nordeste, iniciado em agosto, tem afetado pescadores, marisqueiros, voluntários, militares, profissionais da Defesa Civil, entre outros, expostos ao risco de contaminação, que pode ocorrer por meio de inalação, pelo contato com a pele e pela ingestão de alimentos contaminados. Os governos estaduais e municipais das localidades atingidas, assim como as secretarias de saúde, o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) têm se mobilizado para fortalecer as ações de vigilância e atenção à saúde.
A origem do vazamento de óleo continua em aberto, as investigações criminais pelo rompimento da barragem em Brumadinho não foram concluídas e as queimadas e o desmatamento na Amazônia voltaram a crescer no mês passado. O que se sabe ao certo é o dano causado ao meio ambiente, que levará anos para ser desfeito, e o impacto irreparável na vida das pessoas afetadas diretamente pelas tragédias.
O debate no Sala de Convidados conta com a participação do professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Paulo Pena; do coordenador do Centro de Estudos para Emergências e Desastres em Saúde (Cepedes/Fiocruz), Carlos Machado; e da professora titular de Epidemiologia do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, Maria Glória Teixeira.



Vídeos Relacionados